Subversa

A Janela no Dia Frio | Gabriel Ataide de Lima (Adamantina, SP, Brasil)

Série de Postais: Château Le Grand Broutay


(para ela que gostava de histórias de arrepiar os cabelos)

 

Era julho. Fazia muito frio. Era um dia de frio insuportável.  A janela estava fechada; os dois namorados juntos assistiam a tv. Para piorar, começou lá fora o barulho ensurdecedor de um temporal.

-Abra as janelas, Lis.

Lis olhou Pedro com naturalidade.

-Não vou abrir a janela agora.

-Por que não?

-Se eu abrir eles podem entrar aqui dentro.

-Eles não vão entrar aqui Lis. Eu coloquei bastante pó de mico nas fechaduras.

-Isso nas portas.

-É claro. Mais eles podem entrar pela janela.

-Você não está ouvindo o barulho da chuva?

-Estou.

-Então pode ir abrir a porta. Eu garanto que eles não vão entrar.

Lis esboçou algum movimento. Lembrou-se que a xícara de café estava bem quente.

 

-Depois eu vou abrir a janela.

-Pode ir abrir agora.

-Se eu abrir eu não vou mais voltar.

-Não pode estar falando sério.

 

Pedro observou os olhos verdes claros que faziam Lis tão bonita. Ela tinha descendência portuguesa.

-Não faças isso. Pode ir naturalmente. Abra a porta e depois volte aqui.

-Não vou voltar.

-Não está tão frio assim.

-Não é o frio que é o problema… São eles que são!

-Eu juro. O último que eu vi parecia estar tendo um ataque. Não vão mais aparecer.

-É julho.

-Sim.

-É o mês que eles mais aparecem.

-Não leve essas superstições a sério.

-Eu levo. Você também deveria levar.

-Da última vez você foi e abriu. Ninguém apareceu.

-Eu não me importo com nada. Se eu for abrir a janela eu não vou mais voltar.

-A chuva parece ter diminuído.

-Tudo bem Pedro. Seja feita a sua vontade.

 

Lis se levantou. Pedro continou assistindo a tv. Percebeu a demora da companheira. Levantou e foi correndo para ver se a janela estava aberta. Estava. Um pequeno passarinho de olhos verdes cantava do outro lado. O frio chegará.  Infelizmente eles tinham voltado.


G.A. LIMA é poeta e dramaturgo. Nasceu em Adamantina, em 1996, no estado de São Paulo. É autor dos livros Fogo e Metal e Quase Barroco-Novo.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367