Subversa

Portento Diminuto | Paulo Vitor F. da Cruz (Ubá, MG)


Vi uma joaninha depois de muito

muito tempo

não sei dizer se estava ocupado demais para vê-la

ou se ela simplesmente sumiu por conveniência

fato é que só depois de muito tempo

outra vez a vi

repleto de saudades

quis conversar

contei coisas

busquei lembranças

gastei gestos e expressões

depois senti-me tolo por fazê-lo

percebendo a joaninha calada e indiferente

acreditei por acreditar que saudade nela não se manifesta

porque não há espaço

porque toda ela é joaninha

e é preciso continuar assim

para retribuir o que a existência oferece

como forma de gratidão

vive morre e embeleza a vida

de quem não se basta

e carece de miudezas pra sobreviver

à constatação de não ter feito nenhuma falta

 

fomos embora

sem nenhum tamanho.


PAULO VITOR F. DA CRUZ | poeta e contista brasileiro. Autor de “Subverso – O livro impuro” (2012), “Chuva e Som: o cordel do sanfoneiro e da boneca de pano” (2015) e “De Monize a Rosa” (2017). Desde de 2007 publica em jornais e revistas (literários e não) esporadicamente, além de participar de algumas antologias organizadas por editoras diversas. | paulovitorfcruz@hotmail.com

 

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367