Subversa

Throx – a essência e o odor | Sérgio Santos (Barreiro, Portugal)


Compreendo e aceito a lógica subjacente à vida, há regras explicitas e implícitas no tempo limitado que nos concedem para existirmos. Vencedores e derrotados, eles estão lá, o magnífico campeonato da vaidade vai catalogá-los a todos.

Tens mais de dois metros, um metabolismo geneticamente alterado, implantes musculares premium, prémios de beleza da sociedade Apollo e outras palhaçadas… Parabéns! Existe a forte possibilidade de seres um felizardo que pode encontrar a sua cara-metade no Tinder-Throx. Os mais apurados cálculos científicos irão certamente desvencilhar uma graciosa companheira altamente compatível. Prontos para acasalar, poderão conceber magníficos espécimes em laboratório, um cocktail genético de excelência. Subsídios do Estado não vão faltar, os melhores devem ser pois premiados, que a felicidade flutue então na abundância.

Se infelizmente não sofreste um lifting de quinta geração e os teus progenitores não são de primeira divisão, tiveste azar. Se por acaso mostrares algum mérito especial, talvez recolham parte do teu material genético para o misturador selectivo, isso dá direito a pontos extra e algumas vantagens. Os subsídios são mais modestos, mas dá para viver.

Esquece as mulheres reais, sobram sempre as avatares digitais de inteligência virtual, essas ao menos são sempre compatíveis, porque foram concebidas de forma personalizada para o teu ego.

É aborrecido não teres descendência directa, mas talvez contribuas para a felicidade dos outros se considerarem o teu minúsculo contributo genético válido. Um pouco mais irritante será a batalha campal na rua, há os vencedores e os derrotados…pessoas malcriadas e alguns comentários deselegantes.

“Pobretas! Já vão vinte a caminho e vocês nada!… Tomem!”

“Totójks! Brinquem com a chucha digital, nós preferimos mulheres de carne e osso! Ah!Ah!”

“Já viste aquele fracassado? Dizem que muitos suicidam-se. Se pensares faz sentido, eles iam ser extintos de qualquer maneira.”

“Aquele traz uma risca amarela no braço, deve ser um doador. Devia ser proibido! Duvido que alguma coisa se aproveite, eles tresandam!”

“Que nojo! São asquerosos!”

Desde há quase quarenta anos que só há mulheres de primeira divisão no mundo, a Propipeira quase as dizimou, felizmente conseguiu-se encontrar uma cura in extremis. Isso acabou por facilitar o processo quando surgiu a revolução eugénica defendida pelo partido A1. Mas continua a desproporção populacional, 22,3% são mulheres e 77,7% homens.

Os derrotados são um problema, mas o tempo e este mundo cor de rosa irá encarregar-se deles.

Existem, no entanto, algumas zonas cinzentas, pequenos percalços na engrenagem que escapam à suposta lógica. Imaginemos agora um caso amoroso entre um macho de divisão inferior e uma fêmea de 1º divisão. Apesar de toda a lavagem cerebral, um compromisso Tinder-Throx, uma prole em crescimento e outras tantas comodidades de um mundo perfeito, a encantadora dama escolhe mergulhar numas aventuras obscuras, longe da normalidade impositiva. Quando ia já a caminho do décimo rebento, compreendeu que a vida dela precisava de um choque eléctrico. Resolveu inscrever-se numa rede social encapotada, a Essência-Throx, lá deveria procurar e seleccionar os melhores cheiros terrestres compatíveis à sua persona. Se assim entendesse, poderia ir mais além, selecionado outro tipo de odores, mais tórridos e sensuais. Com o código certo acedia à sigilosa Odor-Throx e um mundo de possibilidades florescia. Sem pressão, encontrou o parceiro certo para uma delirante odisseia de intenso sexo virtual, alternados com momentos de cumplicidade e afeição. Gerânio, jasmim e canela era um amante divinal, graças a ele conquistou horas de felicidade.

A decisão de partir à aventura, foi uma ideia abençoada, desgastada, perdida num mundo monótono sem intensidade desejava ardentemente um novo significado, explorar novos territórios. Tinham-lhe assegurado com as máximas garantias científicas que tinha o parceiro certo, o melhor possível, aquele que iria assegurar o máximo potencial. Simplesmente não achava isso, via silêncios incompletos, sorrisos derretidos, prazeres mecânicos e muita burocracia. Não conseguia conversar como se tivesse a pensar ou sequer sentir que ele conseguiria completar os pensamentos dela. As conversas que tinha com as amigas não a sossegavam particularmente, a culpa era sempre dela, deveria tentar ser menos exigente e relaxar porque o sistema nunca falhava. Mas ela via os outros casais, os sinais de compatibilidade e encantamento eram mais evidentes. A culpa não podia ser só dela, algo estava mal.

Ela sentia cada vez mais uma maior curiosidade e encantamento em relação ao seu derrotado. A selecção do Tinder-Throx tinha sido demasiado limitada, os critérios eliminatórios excessivamente exigentes, o vencedor escolhido que lhe calhou não era provavelmente o melhor candidato com verdadeiro potencial. O Gerânio possuía um corpo divinal, um lifting de 4º geração, e nas compatibilidades psico-afectivas e culturais deveria ter a classificação de Match 20. Indignou-a compreender que a taxa de rejeição foi de apenas 0,007. Ele tinha doado também 345 Kravs de genes para o misturador, isso só provava o valor excepcional dele. A fronteira era demasiado ténue, incompreensivelmente.

Com o tempo assumiu que a casual aventura não servia apenas para a equilibrar, aquele mundo paralelo é que merecia ser institucional, escondia-se na obscuridade com um derrotado que deveria ser o verdadeiro vencedor. Com ele tudo parecia fluir no tom certo, correcto. A explicação não poderia ser que se tratava de uma nova ilusão, mas que o tempo iria corroer tudo. Havia algo mais, um novo sentido, uma consonância que nunca tombava ou desequilibrava, aqueles alicerces suportariam esforços imaginários. Nunca tinha ligado para os derrotados, ignorava-os, tinha sido educada a pensar assim. Entre eles estava a sua alma-gémea e também devia existir outras maravilhas que eram negligenciadas e abandonadas tudo na base de um preconceito e de certezas mentirosas.

Um acto honesto, corajoso de ruptura já antes fora tentado por outras pessoas, ela viu que sobraram apenas destroços dessas tentativas. Apesar de tudo, esses casos foram com membros de primeira divisão, de desconfiassem que ela andava a brincar com uma divisão inferior, a blasfémia seria estridente. Seria uma proscrita, hostilizada e abandonada por todos, amava demasiado o conforto para abraçar tal sofrimento.

Não sendo capaz de assumir toda a verdade, necessitava de uma ruptura, simplesmente não podia adiar mais. Tudo parecia desmoronar-se, sentia-se incapaz de viver no mesmo lar e continuar com aquela farsa dual, necessitava de libertar-se de pelo menos de um problema. Resolveu avançar com uma acção de impugnação judicial contra o Tinder-Throx, rejeitando os critérios de selecção científica, supostamente imunes ao erro. O vencedor dela não conseguia compreender a origem desta ruptura que continuava a agravar-se até ao absurdo. Aceitava a desintegração como inevitável, mas exigia a custódia dos seus rebentos. As entidades judiciais decidiram de forma implacável pela nacionalização dos filhos, oficializaram a desintegração e diagnosticaram-na como individualista auto-destrutiva.

De bom grado aceitou o exílio auto-proposto de dois anos na União Central de Investigação Ártica, abdicando de familiares, amigos e de um contacto mais próximo com os seus filhos. O vencedor explodiu de raiva, jamais a perdoaria, ele era uma vítima colateral completamente inocente. Iria pedir injustamente parte dos subsídios, seria privado de um contacto mais próximo dos seus descendentes e em última instância era também responsável pela desintegração e igualmente cúmplice do fracasso. Ele que teve tanta paciência e dedicação para uma mulher tão insatisfeita e instável. No fundo o sistema não queria admitir que a união Tinder-Throx era falível. Mas as pessoas evoluem, a petição para que os compromissos Tinder-Throx passem a ser repetidos de sete em sete anos nunca fez tanto sentido.

O Gerânio continuou com ela, apesar do secretismo o amor fortificou-se naqueles anos de exílio. Ninguém o reconhecia oficialmente, mas ele era o seu vencedor Odor-Throx, o legitimo, o correcto.

Se certas mentes não fossem tão obtusas ele conquistava o trono, apenas 0,007 o separavam desse desígnio. Resolveu mudar de profissão, implantou uma licenciatura cerebral de engenharia de software nível 300. Mesmo no Ártico, conseguiu trabalhar à distância para uma companhia de avatares digitais, dedicou-se afincadamente a criar uma personagem baseada na sua própria personalidade, deu-lhe o nome de Patchuli. Era assim que ela era conhecida pelo Gerânio que havia selecionado em tempos o cheiro inesquecível de patchouli, pimenta e gengibre. Percebeu que chegava a um ponto sem retorno, resolveu inicialmente encenar a sua morte, desafortunadamente teria que abdicar do seu mundo. Compreendeu lamentavelmente que a sua existência física seria um eterno problema, o seu segredo estava condenado a ser descoberto. Acossada, optou pelo derradeiro sacrifício.

Gerânio escolheu como concubina oficial e em exclusivo uma avatar digital chamada Patchouli e nunca mais a largou até morrer.


SERGIO SANTOS | Designer, formador, autor de banda desenhada e escritor.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367