Subversa
  • No Escoar da Luz | Pedro Belo Clara [Um Lírio sobre os Olhos]

    Vinham com os estorninhos, esses laivos rosáceos nascidos de lugares nunca alcançados, enchendo o céu numa lembrança de flores evoladas. Na pele apaziguava-se o sal feito prata à densa luz do dia. O horizonte em eterna tecedura imbuía a memória no esquecimento doce dos lírios brancos. Começavam por afinar gargantas os piscos que tomavam oliveiras…

    Continuar Lendo…
  • Lucy | Eber S. Chaves (Vitória da Conquista, BA, Brasil)

    Lucy em Afar com paus e pedras nas mãos – caminhando lentamente para morte, cruzando o espaço- tempo: osso duro de roer!   Lucy, caveira desfigurada espalhada como num quebra-cabeça – ossos e mais ossos espatifados sob a poeira que sobe ao céu e se espalha até que se cansa com tanta secura.   Lucy…

    Continuar Lendo…
  • Esfinge Negra | Fernanda Godinho (Évora, Portugal)

    Esfinge negra Que se espreguiça Majestosa No meu caleidoscópico Ventre   Nebulosa existência Que me revolta O estômago. Contração contida Levando as patas À boca.   Macio e negro O pêlo Simétricas e desfocadas Visões coloridas Das minhas vísceras.   Pele desfiada Enchimento farto Para calar e enganar O gosto ferropénico Do regurgitado.   Enigma…

    Continuar Lendo…
  • Os Ratos | Glauber Costa (Ubatã, BA, Brasil)

    O expediente se largou do relógio, despencando os meus ombros nos meus outros ombros menores. Atrás de mim, pilhas de papéis e montes de pessoas e suas falas e seus hábitos, que me seguiram zumbindo por dentro e por fora do ouvido. Quase sem o nó na gravata, a paisagem, feito anta, e o dia…

    Continuar Lendo…
  • Recordação | Giovane Adriano dos Santos (Oliveira, MG, Brasil)

    Eu criança. Ela desdicionarizava e me dizia: recordação é quando se tira um passado da algibeira. A palavra retalho era costurada em colcha a linha se arrebentava, mas em nada me lembrava as moiras. Têm horas em que a morte não Espanta E que é inumano falar dum destino. A colcha que ia sendo tecida…

    Continuar Lendo…
  • Cantiga | Max Lima (Rio de Janeiro, RJ, Brasil)

    Minha rua é um rio Que escorre dura Feito memória Minha rua é história De concreta carnadura A bater na armadura De uma ostra de gordura Com toda força e alguma glória Até que a fura.   Se essa rua minha fosse Eu mandava ladrilhar Com pedras do esquecimento E as plantava no cimento Como…

    Continuar Lendo…
  • Cortante | Natanael Otávio (Bastos, SP, Brasil)

    O motoqueiro vislumbrou a pipa. Não viu a linha. Um passeio rápido pela vida. NATANAEL OTÁVIO (Bastos, 1980) é autor do livro Reconstruções (2016). Publicou o conto Pedaços do Mundo Rasgado – Alanis D. e o Esmerilhão (2016) em ebook na Amazon. Participou da antologia O Corvo: um livro colaborativo (Editora Empíreo, 2015). É colaborador do site CultEcléticos e integra o Grupo de…

    Continuar Lendo…
  • Correntezas | O mito do tradutor invisível | Pedro Lima (Curitiba, PR, Brasil)

    Por ser uma atividade que atravessa a história da humanidade desde os seus tempos mais antigos, a tradução está cercada por uma série de paradigmas e opiniões que estão cristalizadas tanto entre pessoas que nunca estudaram o funcionamento das línguas em geral quanto na própria comunidade de acadêmicos de Letras. Neste breve ensaio, tentaremos problematizar…

    Continuar Lendo…

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367