Subversa

Tua sombra enche de tristeza o meu caminho | O Ladrão de Chapéus

Ilustração de Marilia Moser


Tua sombra enche de tristeza o meu caminho
E enche de poeira o meu casaco.
Triste como a tradição dos bardos bêbados
De ir-se aos poucos e sempre cedo…

Não haverá nuvens no caminho, nem ilusões
Talvez um dedo de cachaça e um sussurro.
Não são delírios que me tomam, são palavras!
É a poesia que resiste enquanto ser

E ser é ser como uma sombra!

Não trago alegrias a ninguém,
Tampouco o desespero me detém.
A tua sombra paira sobre o meu caminho,
Feito de grão e linho,
Feito de espuma e dor…

E todas as minhas verdades me esvaziam de solidão!

Pela tua sombra,
Pelo teu cansaço,
Pelo teu silêncio e pelo espaço
Me nego a aceitar: agora, eu quero o sol,

E o que me resta, eu quero aqui!


BOMQUEIROZ é de Uruguaiana (RS, Brasil) e nasceu embaixo de uma bergamoteira. | BOMQUEIROZ@GMAIL.COM | ler MAIS TEXTOS do autor.

Sobre o Autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367