Subversa

Ensinar língua portuguesa no Egito | Entrevista com Maged El Gebaly

Tivemos a oportunidade de entrevistar o professor Maged El Gebaly, coordenador do Departamento e Língua Portuguesa da Universidade de Aswan, no Egito. Professor da Faculdade de Letras e Tradução da Univesidade de Aswan com tese de doutorado Mobilidades culturais e alteridades em Relato de um Certo Oriente de Milton Hatoum e sua pré-tradução árabe. Realizado no Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo- USP, sob orientação do professor Benjamin Abdala Júnior.

***

SUB | Como nasceu esse projeto de criar um curso de graduação em Língua Portuguesa na Universidade de Aswan?

MAGED | Esse projeto nasceu quando fazia minha graduação na Faculdade de Alsun no Egito. Havia departamentos para o ensino de quase todas as línguas menos a Língua Portuguesa. Depois, vi o ensino da Língua Portuguesa emergindo no Egito como segunda língua, subordinado ao Departamento de Língua Espanhola. Havia uma crença popular de que o português é um dialeto do espanhol e uma ideia falsa de que o inglês pode sustituir o português na comunicação entre os países da CPLP e os Países Árabes. Daí, vi a relevância de aprender a Língua Portuguesa e de estudar suas literaturas para instaurar o estudo dessa língua num departamento autônomo dos departamentos das demais línguas ensinadas no Egito e nos Países Árabes.  Meu propósito era abrir um espaço secular para o diálogo entre os Países da CPLP e os Países Árabes. Nessa tarefa gostaria de lembrar o apoio incondicional da professora Samira Ahmad Orra que iniciou conosco as primeiras aulas da Língua Portuguesa e o apoio do professor Benjamin Abdala Junior que esteve na inauguração do Departamento em 2015.

 

SUB | Há quanto tempo existe o curso? E a quem se destina?

MAGED | O curso começou no ano letivo 2014/2015. O curso dura 4 anos letivos. O ano letivo começa na última semana de setembro e termina em finais de maio. O curso se destina aos estudantes egípcios, árabes e africanos que fizeram o vestibular e foram encaminhados para faculdade e decidiram escolher o curso de graduação em Língua Portuguesa.

 

SUB | Quais foram as maiores dificuldades/desafios para criar o curso de graduação?

MAGED | Manter o departamento com poucos recursos.

 

SUB | Quantos alunos há no curso atualmente?

MAGED | Temos 8 alunos no terceiro ano,  9 alunas e 3 alunos no segundo ano, e 7 alunas no primeiro ano. No total, são 27 alunos.

 

SUB | Há acordos de cooperação com universidades ou instituições fora do Egito (nomeadamente Brasil e Portugal)?

MAGED | Temos cooperação com a UFRJ e estamos elaborando acordos de cooperação com a UFT, UNEMAT, UFF e UEA no Brasil. Também, na próxima edição da Jornada da Língua Portuguesa (a terceira), esperamos poder assinar acordos de cooperação com as Universidades de Lisboa, de Porto e o Instituto Camões. (Recentemente após a entrevista o Instituto Camões doou uma biblioteca de autores portugueses).

 

SUB | São abertas vagas para professores brasileiros e portugueses para lecionar no curso? Caso sim, como devem proceder?

MAGED | Tem um edital anual aberto para professores pesquisadores que podem dar aulas e desenvolver sua pesquisa no departamento durante um ano letivo, de inícios de outubro e até inícios de junho.

 

SUB | Há dificuldade em encontrar material didático de português no Egito, bem como material de literatura?

MAGED | Tivemos contribuiçoes de amigos brasileiros e doação de uma biblioteca de autores brasileiros do Instituto Camões. Também, viajo para o Brasil para comprar material para as aulas e sempre importo no mês de fevereiro livros de Portugal.

 

SUB | Como é a difusão da literatura lusófona no Egito? Os autores são conhecidos do público, há traduções disponíveis?

MAGED | Ainda estamos na fase de cultivar o ensino da Língua Portuguesa. Temos poucas traduções do português. A maior parte das traduções estão feitas através de outras línguas.

 

SUB | Quais projetos que o curso de graduação e o Maged gostaria de desenvolver no futuro para reforçar os laços de cooperação e amizade com os países de Língua Portuguesa?

MAGED | Estamos tentando ampliar as pesquisas entre a Universidade de Aswan e as entidades acadêmicas e culturais da CPLP. Queremos ter publicações conjuntas, especialmente os materiais didáticos da Língua Portuguesa e suas literaturas.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Pedro marques 15 de janeiro de 2017 em 18:00

    é MUITO GRATIFICANTE SABER-SE QUE ENSINO DO NOSSO IDIOMA ESTA A COMEÇAR A DAR”OS PRIMEIROS PASSOS”. Haja Esperança! O caminho faz-se caminhando. Pela entrevista, vejo que havia a ideia formada (falsa) de que o Português seria um dialecto do espanhol. Imagine-se. O nosso idioma um dos mais velhos do mundo! E que de Portugal, pelos “descobrimentos” se enraizou nos quatro pontos cardeais do globo.
    Gostei da entrevista.

  2. online na tv 29 de outubro de 2018 em 18:20

    N escrita é também um emoção, se você sei depois disso você
    pode escrever se não é complicado escrever.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados *

Entre em Contato

contato.subversa@gmail.com
Brasil: (+21) 98116 9177
Portugal: (+351) 91861 8367